Written by Written by Roland Benedetti, Chief of Product & Marketing, eZ Systems

Como os CMS (Content Management Systems) funcionam com SEO (Search Engine Optimization) é, e sempre será, um debate aceso enquanto os motores de busca continuarem a impulsionar o tráfego para websites (e não vejo razão para que isso pare)...o eZ Publish foi escolhido muitas vezes pelas suas fortes capacidades em muitos campos, incluindo o SEO. Há alguns anos atrás, tópicos básicos como URLs "SEO-friendly" ou a capacidade de definir com precisão palavras-chave não eram comuns a muitos CMSs. O eZ Publish constitui uma excelente plataforma para o SEO, mas o SEO está constantemente a evoluir. Algumas das características do eZ podem de facto contra-atacar e penalizar o seu ranking SEO, se não souber exactamente como se comportam os bots de pesquisa. A seguir estão 5 erros comuns que quererá evitar quando lançar um novo site com o eZ Publish em que o SEO tem um papel importante.

% SEO pitfalls to avoid with eZ

1. Não caia na armadilha dos "conteúdos duplicados" (ou o perigo das localizações múltiplas)

Este é um clássico que muitas pessoas ainda não conhecem. Não há um comportamento por omissão a evitar, e não existe uma única maneira padrão de que as coisas devessem funcionar. Vamos descrever os problemas que poderá encontrar:

Quando está a rastrear e analisar websites, o Google e outros motores de busca basicamente têm robots que se comportam como seres humanos a navegar no seu site. Quando estes robots estão passando por diferentes "páginas" que oferecem o mesmo conteúdo, tendem a considerar isso como algo errado. Parece, a esses robots, que alguém está a reutilizar conteúdos em vários sítios só para "encher" mais o site. Esta foi uma velha técnica SEO "black hat" (ou pouco ética) para tentar enganar os bots da Google, consistindo, precisamente, na duplicação massiva de conteúdos. Este truque já não engana a Google (ou outros), mas ainda assim gera um impacto negativo no ranking de um site. Isto é um problema para sistemas como o eZ Publish que têm capacidades de localização múltipla, que permite definir o mesmo conteúdo em vários sítios na estrutura de conteúdos, para diferentes tipos de audiências. Aquilo que é uma boa ferramenta pode, paradoxalmente, tornar-se numa desvantagem, apesar do facto de não existirem intenções maliciosas por detrás.

De qualquer maneira, este é um facto que não precisa ser discutido - não se discute com os bots da Google! As boas notícias são que existem maneiras simples de contornar o problema. A maneira clássica é usar a instrução de URL "canónica" na sua página. Isto irá dizer ao sistema da Google qual é o URL preferido e qual é o original para cada página que contém conteúdos similares. Usando esta instrução explicitamente vai assegurar que não é penalizado pelo motor de busca por usar conteúdos duplicados. Se vários URLs entregam conteúdo parecido e você define um URL canónico para um deles, a Google vai perceber que esse é o URL principal. Isso resulta em pesquisas que se referem sempre ao URL escolhido.

Se usa muito a funcionalidade de localizações múltiplas do eZ Publish, isto é algo a ter em conta.

Tools provided by Moz are of great help to understand the errors impacting SEO on your site, for instance Duplicate Content and Duplicate Page Titles errors are easily tracked.

2. Ao traduzir Websites, cuidado com as traduções parciais e constantemente actualizadas de URLs

Esta é uma variação da primeira armadilha mencionada. Trata-se de um caso extremo, mas que pode acontecer de vez em quando. Está relacionado com os sites que estão sendo traduzidos. Na verdade, em geral, o SEO para websites multilíngues são, definitivamente, um tema complexo.

Portanto, vamos dizer que a sua língua principal é o Inglês, e que tem uma grande história publicada em

http://www.mysite.com/myblog/my-great-story

E quer agora traduzi-la para o seu Winsite em Francês. Isso depende, obviamente, da maneira como tem configurado o eZ Publish, mas há uma grande probabilidade de que tenha a versão Francesa disponível em

http://www.mysite.com/fr/myblog/mon-histoire-formidable

(assumindo que traduziu, pelo menos, o título)

No dia seguinte, apercebe-se de que o título do próprio blog deveria provavelmente ser traduzido de "myblog" para "mon journal personnel"...Depois de o fazer, terá o seguinte URL

http://www.mysite.com/fr/mon-journal-personnel/mon-histoire-formidable 

A maneira como o eZ Publish funciona, que é realmente muito boa e sofisticada, vai assegurar que o URL "velho" ainda funciona. Por isso, vai acabar com ambos

http://www.mysite.com/fr/myblog/mon-histoire-formidable

e

http://www.mysite.com/fr/mon-journal-personnel/mon-histoire-formidable

a funcionar.

O Google, que é muito inteligente, mas que realmente não quer saber sobre o modo de funcionar do eZ Publish, vai provavelmente acabar por considerar isto como conteúdo duplicado pela mesma razão descrita acima, mesmo que a funcionalidade original tenha sido desenhada para melhorar a experiência de utilizador. Eu sei, não faz muito sentido, mas esta é a maneira de funcionar do Google e não há muito que se possa fazer em relação a isso.

Portanto aqui, tal como na primeira armadilha que mencionei, o que vai querer fazer em primeiro lugar é assegurar-se que descobre e acompanha os erros que acontecem no mundo real usando Moz, Google Webmaster ou outras ferramentas. Se existem diferentes versões do URL nas suas templates, ou mesmo fora do seu site em algumas noutros conteúdos, então não deveria pensar em usar o link "canonical" descrito acima. Pode também considerar usar redireccionamento inteligente (301 redirect) no URLs "compostos", como o que foi feito aqui: https://github.com/holzweg/hwseo. Temos usado isto com sucesso, e portanto recomendamos.

3. Padrão predefinido para títulos de página

O que dantes era uma força, pode agora ser uma fraqueza. A eZ teve e ainda tem grandes capacidades que definem automaticamente títulos de páginas apartir de conteúdo, e a sua respectiva posição ma árvore de conteúdos. Há alguns anos atrás, isso era visto como uma característica SEO forte, e não nos leve a mal, continua a ser muito melhor do que um título de página irrelevante. O que acontece é que os títulos de página têm vindo a ganhar importância no SEO. É agora um dos elementos-chave aos quais se deve prestar a devida atenção.

Resultado: títulos de página que são dinâmicos e derivados automaticamente de conteúdos existentes são muito melhores do que ter títulos de página irrelevantes ou mesmo errados. No entanto, em muitos casos, isso não é eficaz. Por exemplo, para uma peça de conteúdo como:

http://mywebsite.com/myblog/my-great-story

Um título de página típico, usando a configuração por omissão do eZ Publish demo, seria:

“My great story / My Blog / Home - My Website”

Os programadores podem mudar a ordem, os separadores e por aí fora, o que é bastante poderoso (se só eles sabem sobre o assunto). Porém, este não é provavelmente o título mais optimizado numa perspectiva SEO. Se quer optimizar o seu SEO, então vai acabar por optar por inserir manualmente o título da página.

Provavelmente algo como:

“My great story about my #keyword1 and #keyword2”.

Os títulos das páginas devem permanecer curtos, com menos de 70 caracteres, e devem focar-se naquelas palavras-chave que são mais importantes para o seu artigo. As restantes partes que são adicionadas automaticamente apartir das pastas hierarquicamente superiores são realmente de muito pouco valor.

A nossa recomendação, se quiser de facto optimizar o seu site para motores de busca, é de que deve editar manualmente todo o título da página em questão. Para que isso aconteça, basta adicionar um atributo "page title" na definição da sua classe, e pedir ao seu web developer para que baseie o título nesse mesmo atributo - tão simples como isso.

4. Descrições não optimizadas

A seguir ao título da página, a descrição é outro elemento muito importante. Apesar de a sua importância no "ranking" nem sempre ser clara, a sua importância na eficiência de sua página de resultados do motor de busca (SERPs) é por demais óbvia. SERPs é o perfil, como mostrado pelo Google e outros, que inclui o seu conteúdo e a sua descrição. Seja qual for a sua posição na lista, é bastante óbvio que o SERP deverá ser atraente e cativante, se quiser que os utilizadores cliquem neles.

À partida, o campo de descrição é usado de uma forma muita básica pelo eZ Publish, usando apenas uma descrição padrão em todo o site. Claro, se deseja optimizar as suas páginas para pesquisa, a descrição deve ser baseada no conteúdo, e dependendo deste mesmo conteúdo, não poderá ser genérica.

A nossa recomendação para a descrição da página é apresentá-la através de um atributo específico. Evite a truncagem automática do artigo, pois isso geralmente dá maus resultados. Poderá, potencialmente, reutilizar um campo "abstracto" se tiver um, mas é provável que este seja demasiado longo. Utilizar um campo dedicado será porventura a melhor maneira de ajustar o seu SEO de forma tão precisa quanto deseje.

Quando pensam em SEO, muitas pessoas concentram-se nas palavras-chave, e esquecem-se do campo de descrição. Não recomendamos que esqueça as palavras-chave, mas está provado que não são assim tão importantes quanto isso.

5. Navegação, navegação, navegação

O eZ é uma ferramenta muito poderosa para organizar o seu conteúdo a partir da interface de administração. A árvore de conteúdos do repositório de conteúdo do eZ e as muitas opções que tem para gerir a arquitectura de conteúdo (escolhendo se quer ou não mapear a estrutura do site) são muito apreciados. Contudo, isso pode levar a uma arquitectura que não é centrada utilizador final, mas sim no portal de administração.

Por isso, há algumas coisas importantes e claras a ter em mente:

  • Tente manter a árvore de conteúdos pouco profunda, de modo a evitar URLs longos.
  • Certifique-se de que a navegação para os utilizadores finais é clara, intuitiva e assenta no modo natural de navegar de um ser humano.

Na verdade, com sistemas dinâmicos como o eZ, é bastante fácil criar muitos links como meio de permitir todas as rotas de navegação possíveis. Foi, e ainda é, comum ver consultores de SEO recomendando rodapés com "montes" de links. A tendência é para que os bots ou ignorem esses links, ou então que o penalizem pela sua existência - demasiadas opções de navegação dão cabo da navegação! Não se anime demasiado com a muitas opções "automatizadas" de linking proporcionadas pelo eZ. O fundamental é pensar no fluxo de informação do seu site de forma tão humana e natural quanto possível.

Só 5 armadilhas?

Não, na verdade, existem muitas outras armadilhas de SEO a evitar. As cinco descritas acima são, no entanto, em nossa opinião, as mais comuns a ter em mente. Elas não são de forma alguma limitações ou defeitos do eZ Publish, mas sim uma consequência de utilizar uma plataforma d e gestão de conteúdos sofisticada como o eZ. Isso também acontece com muitos outros CMSs ou sistemas de comércio electrónico. Se tiver quaisquer outras armadilhas para advertir os utilizadores ou alguma outra dica sobre como evitá-las, por favor compartilhe-as na caixa de comentários abaixo!

Fique atento se quiser mais material relacionado com SEO. A equipa de Marketing da eZ decidiu fazer do SEO o tópico da semana, e por vamos continuar a divulgar mais material.

Cumprimentos,

Roland

Load Comments
loading...